Barragem de Fridão: Governo decidiu o que ele próprio suspendeu

16 de Abril, 2019 Por admin_sim

No início da atual legislatura, o Governo Socialista decidiu suspender a construção da Barragem de Fridão para proceder à sua reavaliação. Esta construção estava integrada no Programa Nacional de Barragens de Elevado Potencial Hidroelétrico, lançado em 2007, pelo Governo de José Sócrates.

Hoje fomos confrontados com o anúncio público do Ministro do Ambiente e da Transição Energética, João Pedro Matos Fernandes, de que a Barragem de Fridão não seria construída.

Um processo que se arrastou durante mais de uma década, com danos para as pessoas e para o território.

Com a suspensão do processo em 2016, o governo socialista não suspendeu só a construção da barragem, agravou também a indefinição do futuro e do desenvolvimento do concelho, com impacto na vida dos mondinenses, especialmente a dos afetados diretamente com a construção da barragem.

Ao longo deste processo o PSD Mondim de Basto respeitou a pluralidade de opiniões interna sobre a construção da Barragem de Fridão. Em respeito e coerência com esta posição, não encaramos o fim deste impasse como sendo uma vitória ou uma derrota, mas sim como um momento de grande exigência governamental e autárquica.

Exigência com o governo central para que os prejuízos causados pelo impasse que criou possam ser compensados.

Exigência para que o caudal ecológico do rio Tâmega possa ser assegurado independentemente das barragens construídas no Alto Tâmega.

Exigência para melhorar a qualidade da água do rio Tâmega e abolir as descargas poluentes a que ainda é sujeito.

Exigência para a criação de um Plano de Valorização dos rios Tâmega e Cabril e das suas margens por forma a potenciar os recursos naturais que têm sido esquecidos e subaproveitados.

Também o PSD Mondim de Basto assumirá a exigência consequente da decisão agora conhecida. Além da manifestação de disponibilidade para nos associarmos às ações municipais de defesa dos cidadãos e reivindicação de compensações, iremos proceder à apresentação de propostas que possam finalmente contribuir para preservar e valorizar os rios do concelho e as suas margens.